O inesperado benefício da educação online e o futuro do trabalho.

O inesperado benefício da educação online e o futuro do trabalho

Vamos deixar claro que essa mudança repentina do ensino tradicional para o ensino online, pegando de surpresa alunos e professores, não está sendo nada fácil, nem todo mundo tem acesso aos mesmos materiais e muitos não tem acesso nem a internet.

Dito isso, sabemos que existem alguns benefícios com as aulas virtuais e o ensino a distância.

Um desses benefícios foi a preparação dos alunos com o tipo de organização e rotina que é necessário em m trabalho remoto com uma equipe trabalhando em várias partes do país ou do mundo.

O mais rápido o aluno adquirir essas habilidades, mais fácil será quando ele chegar ao mercado de trabalho.

Muitas pessoas trabalhavam em casa antes do COVID-19, a pandemia só acelerou essa realidade.

Em 2018, 53% dos trabalhadores globais trabalhavam fora de um escritório convencional por, pelo menos, metade da semana, de acordo com o International Workforce Group.

Nos EUA, como a pandemia forçou muitos empregados a trabalhar de casa, os empregadores foram encorajados pela produtividade que aumentou e muitas empresas já dizem que quando a pandemia passar, vão dar a escolha para seus funcionários de trabalhar, ao menos uma parte da semana, de seus lares.

Os empregadores não foram os únicos que ficaram satisfeitos: um estudo de agosto de 2020 do IBM Institute for Business Value (IBV) descobriu que 67% dos entrevistados nos EUA preferem trabalhar em casa, pelo menos parte do tempo. Cinquenta por cento dos entrevistados desejam que essa seja sua principal forma de trabalhar quando a pandemia terminar.

As carreiras tradicionais de colarinho branco foram as primeiras a oferecer flexibilidade geográfica de trabalho em qualquer lugar, mas há uma categoria crescente de cargos profissionais que também permitirão o teletrabalho e oferecerão oportunidades significativas para expandir o acesso às carreiras de rápido crescimento e bem pagas.

Estes são chamados de empregos de “novos colarinhos”, que muitas vezes exigem habilidades específicas e exigidas adquiridas por meio de aprendizagens ou credenciais obtidas em cursos abreviados pós-ensino médio, mas nem sempre um diploma de bacharel tradicional.

Nessas funções, os funcionários podem esperar trabalhar em equipes virtuais geograficamente dispersas. Os membros dessas equipes terão que saber como colaborar com eficiência, conduzir pesquisas e análises online, usar recursos como IA e a nuvem, dominar as habilidades de fala e apresentação, buscar educação continuada, exercitar a inteligência emocional e se tornar mais automotivados e proativos.

Muitos alunos podem ter maturidade, foco e autodisciplina suficientes para aprender digitalmente, pelo menos parte do tempo. Além das salas de aula virtuais, há muitos recursos online para alunos do ensino médio motivados que desejam se preparar para a faculdade e para o trabalho profissional.

Claro, é muito mais difícil afirmar que os alunos mais jovens do ensino fundamental se beneficiam muito do ensino a distância e da colaboração virtual. Sua capacidade de atenção é limitada e é mais bem capturada pelo envolvimento pessoal.

Para tópicos mais complexos, as crianças precisam de atenção, direção e feedback que só podem ser fornecidos por um professor na mesma sala. A instrução presencial também é crítica para muitos alunos com necessidades especiais de aprendizagem.

Por mais que busquemos o lado positivo do ensino a distância para os alunos, existem desvantagens decididas. As salas de aula virtuais também sobrecarregam os pais que precisam trabalhar dentro ou fora de casa. Muitos pais assumem o papel de professor ou assistente de professor, quer tenham tempo para isso ou não. E os alunos de comunidades marginalizadas muitas vezes não têm a tecnologia e a conectividades necessárias para aulas virtuais.

Enquanto mais partes do mundo tornam-se conectadas digitalmente, muitas populações empobrecidas permanecem desconectadas, colocando seu futuro em risco ainda maior.

Assim como a pandemia acelerou a adoção do teletrabalho, também deixou alguns alunos mais velhos mais confortáveis com a ideia da colaboração digital. As habilidades aprendidas durante a pandemia para navegar neste novo terreno serão úteis para esses adolescentes quando entrarem no mercado de trabalho nos próximos anos.

Fonte: https://www.weforum.org/agenda/2020/09/unexpected-benefits-virtual-education

Sobre Lucas Carvalho 10 Artigos
Historiador como formação, pesquisador por paixão, anos dando aulas de História, Inglês e Tecnologia, agora minerando dados pela internet.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta